sábado, 18 de abril de 2009

alternativas....

Em meus passos
Acordo simplesmente
E eu que sempre procuro ser leve,
Fico rocha, dura e chorona,
sempre que olho para trás.
Passa, passa, passa....
A hora da mudança é sempre agora!
E no passo do relógio eu sempre mudo.
E às vezes fico muda
Palavras que não quero pensar
Sentimentos que não quero de volta
O olho a lágrima que mandei embora
Meus momentos são acordes
que utilizo para tocar a vida.
E nem sempre fico sempre alegre
E nem sempre fico sempre triste
Não sou constante
Não gosto do adeus
Não gosto do ultimo olhar
Não gosto de não entender.

A vida cheia de alternativas;
a. procurar um, ou dois sentidos para a vida
b. compor a linha do seu tempo
c. conhecer e mudar tudo, tudo.
d. tornar-se um cavalo selvagem.

3 comentários:

Gustavo disse...

pois então. seja.

Graci disse...

Nossa, o que eu mais detesto é não entender, detesto!


Amei, minha querida sentimentalista.

Mariana R. Thomé disse...

que coisa mais linda Jana!